Últimos filmes que assisti



Olá galera, como estão?
Nos últimos dias venho assistindo inúmeros filmes, e assim como os livros do post anterior resolvi compartilhar com você, dizer o que acho e tudo mais...

Orgulho e Preconceito 
 

O filme Orgulho e Preconceito entrou para a lista dos meus filmes preferidos da vida, e é exatamente por isso que estou tentando convencer a todo custo a minha mãe me comprar o livro, está obra clássica que se eu não me engano lançado em 1800 e não sei quantos. Totalmente fantastica a história. (Espero que Orgulho e Preconceito e Zumbis não seja bosta o quanto parece, e tenha essa pegada de que Mulher pode tanto quanto Homem, que aparenta no trailer).
Sinopse: Considerada a primeira romancista moderna da literatura inglesa, Jane Austen começou seu segundo romance, 'Orgulho e Preconceito', antes dos 21 anos de idade. Assim como em outras obras de Austen, o livro é escrito de forma satírica. 'Orgulho e Preconceito', pode ser considerado como especial porque transcende o preconceito causado pelas falsas primeiras impressões e adentra no psicológico, mostrando como o auto-conhecimento pode interferir nos julgamentos errôneos feitos a outras pessoasA autora revela certas e posturas de seus personagens em situações cotidianas que, muitas vezes, causam momentos cômicos aos leitores, dando um caráter mais leve e satírico ao livro. As emoções e sentimentos devem ser decifrados por quem decidir mergulhar na obra de Jane Austen, uma vez que encobertos nas entrelinhas do texto. A escritora inglesa apresenta seu poder de expressar a discriminação de maneira sutil e perspicaz em 'Orgulho e Preconceito'; ela é capaz de transmitir mensagens complexas valendo-se de seu estilo a um tempo simples e espirituoso. O principal assunto do livro é contemplado logo na frase inicial, quando a autora menciona que um homem solteiro e possuidor de grande fortuna deve ser o desejo de uma esposa. Com esta citação, Jane Austen faz três referências importantes: a autora declara que o foco da trama será os relacionamentos e os casamentos, dá um tom de humor á obra ao falar de maneira inteligente acerca de um tema comum, e prepara o leitor para uma caçada de um marido em busca da esposa ideal e de uma mulher perseguindo pretendentes.O romance retrata a relação entre Elizabeth Bennet (Lizzy) e Fitzwilliam Darcy na Inglaterra rural do século XVIII. Lizzy possui outras quatro irmãs, nenhuma delas casadas, o que a Sra. Bennet, mãe de Lizzy, considera um absurdo. Quando o Sr. Bingley, jovem bem sucedido, aluga uma mansão próxima da casa dos Bennet, a Sra. Bennet vê nele um possível marido para uma de suas filhas. Enquanto o Sr. Bingley é visto com bons olhos por todos, o Sr. Darcy, por seu jeito frio, é mal falado. Lizzy, em particular, desgosta imensamente dele, por ele ter ferido seu orgulho na primeira vez em que se encontram. A recíproca não é verdadeira. Mesmo com uma má primeira impressão, Darcy realmente se encanta por Lizzy, sem que ela saiba do fato. A partir daí o livro mostra a evolução do relacionamento entre eles e os que os rodeiam, mostrando também, desse modo, a sociedade do final do século XVIII.Considerado a obra prima de Jane Austen, 'Orgulho e Preconceito' ganhou diversas versões para o cinema e televisão, a mais recente em 2005, com interpretações de Keira Knightley e Matthew Macfadyen nos papéis principais. (Via: Saraiva)


O Menino de Pijama Listrado

 

Quando eu digo que esse filme acabou com meu piscicológico, quer dizer que fiquei totalmente abalada, literalmente arrasada! Sempre fui uma pessoa que gostava de saber o que ocorreu durante a primeira e segunda guerra, e o nazismo sempre me chamou mais atenção. Sempre tive vontade de conhecer essa história, por retratar bem... então antes de procurar o livro para leitura, busquei o filme. A história é bem mais emocionante do que parece, a maneira que se desenrola...para aquele final que, literalmente você não espera... você percebe a inocência das crianças, elas mal sabem o que está acontecendo e isso é frustrante e com a proximidade do final do filme você só tem um pensamento na cabeça "isso vai dar merda" e quando encerra com aquele close na bendita porta, seu coração está arrasado e você não entende como alguém pode fazer uma maldade daquele tamanho. 

Sinopse: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz idéia de queseu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade,Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga.Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmodia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda asatividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.





Juno


Sabe aquele tipo de história que você fica imaginando o que você faria na mesma situação? Pois é!

Sinopse: Juno MacGuff (Ellen Page) é uma jovem de 16 anos que acidentalmente engravidou de Paulie Bleeker (Michael Cera), um grande amigo com quem transou apenas uma vez. Inicialmente ela decide fazer um aborto, mas ao chegar na clínica muda de idéia. Junto com sua amiga Leah (Olivia Thirlby) ela passa a procurar em jornais um casal a quem possa entregar o bebê assim que ele nascer, já que não se considera em condições de criá-lo. É assim que conhece Vanessa (Jennifer Garner) e Mark (Jason Bateman), um casal com boas condições financeiras que está disposto a bancar todas as despesas médicas de Juno, além de dar-lhe uma compensação financeira caso ela queira. Juno recusa o dinheiro para si, mas decide que Vanessa e Mark ficarão com seu filho.



Grande Menina, Pequena Mulher


Filme estilo sessão da tarde para guardar no coração.

Sinopse: Molly Gunn (Brittany Murphy) é super popular no cenário social de Nova York. Ela é a exuberante filha de um falecido e lendário astro do rock e está no topo da lista VIP da cidade: os estilistas querem desenhar suas roupas, os rapazes querem sair com ela e sua festa de aniversário tem os convites disputados. Sua vida é uma festa o tempo todo. Porém, quando sua herança é roubada pelo contador, tudo isso acaba e Molly é forçada, pela primeira vez, a arrumar um emprego. Ajudada pela melhor amiga Ingrid (Marley Shelton) e pelo caçador de talentos Huey (Donald Faison), Molly arruma em emprego como babá da filha de uma poderosa executiva da música, Roma Schleine (Heather Locklear). A criança é Ray Schleine (Dakota Fanning), uma menina precoce e ansiosa de 8 anos “quase chegando aos 40″, obcecada por germes e com mania de perfeição. Distante emocionalmente da mãe, Ray foi criada por babás, sem qualquer estabilidade. Por isso tenta controlar tudo que pode. Molly nunca precisou ter responsabilidade, enquanto Ray carrega o peso do mundo. Uma vai ensinar à outra como se comportar de acordo com a própria idade.

 Trailer: Clique Aqui

Legalmente Loiras 


Mais um daqueles filmes que eu adoro de patricinhas.


Teenagers: As apimentas
As Apimentadas: Tudo ou nada

Os dois filmes fazem parte da mesma série. Adoro filme de líder de torcida.




Bom galera, espero que tenham gostado das indicações, um grande beijo e até mais! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário